terça-feira, 29 de janeiro de 2013

E se tudo o que foi será???



Até para a felicidade tem de existir uma fase de adaptação… É difícil explicar o porquê… É mesmo complicado descrever o sentimento complexo que se cria dentro de nós quando começamos novamente a gostar de alguém, porque à medida que o tempo passa e vamos dando pequenos passos (sim, porque sou de dar passinhos de bebé) começamos a pensar em tudo o que foi, em tudo o que ainda é, no real presente e no que será o amanhã…
E apesar de apologista do “viver um dia de cada vez”, não há como mandar no nosso coração e como o renovar totalmente de um dia, semana, mês ou ano para o outro…
Depois de anos preso a alguém… Depois de sofrido, de alegre, de magoado, de choroso e de sorridente fica tão sensível que só quer ser independente… È assim o coração. Tão forte e tão frágil…
Mas quer ser acolhido e aquecido… Sim, quer muito…

Mas e o medo do que foi???? E o medo de nos voltarem a aquecer e um dia voltarmos a ter frio???? Vale a pena?....

Tudo o que foi sempre será… Sempre e para sempre…