sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Os amigos do coração!




Os amigos são mesmo o melhor do mundo! Para o bem e para o mal!
Eu conheço pessoas excelentes, dou-me com várias pessoas fantásticas, mas obviamente que amigos daqueles que nos acompanham na vida e para a vida, que nos respeitam e estão lá sempre, são os que moram no meu coração. Os que têm lá uma casa.

Com os meus amigos sou muito próxima emocionalmente. Reparem eles ou não, sempre que algo mexe com eles, mexe inevitavelmente comigo! Sou capaz de não dormir, de sofrer, de ficar ansiosa ou mesmo chorar! E confesso que não sei até, se por vezes mais por eles do que por mim.

É que aqui se coloca a questão de muitas vezes nos sentirmos de pés e mãos atadas no que toca a ajudar os que mais amamos: quando as coisas menos boas são connosco, parece ser mais fácil de viver, sabemos o que sentimos (na maior parte das vezes), o que estamos a viver e parece que assim, com esse conhecimento, damos mais facilmente “conta do recado”…
Com os outros tudo nos parece fugir de controlo… Como os amigos estão, o que pensam eles, o que lhes dói exactamente e como os podemos ajudar?! Quando as coisas não são cor-de-rosa e nada podemos fazer resta-nos dar o ombro, a mão e ficar simplesmente ali. E isto é, por vezes, efectivamente doloroso.


Mas hoje pensava se não será ainda mais perturbante quando sentimos que podemos ajudar! Tentar ajudar... Não conseguir e continuar a tentar. Podemos dar o exemplo, tentar puxá-los à realidade para não cometerem possíveis erros e não conseguirmos fazê-los vir à tona!... É desesperante. Será sempre duro ver alguém que gostamos verdadeiramente sofrer, mas é muito bom e confortável saber que podemos ajudar pois ainda é possível… Por isso: “Amiguinhos que ainda não perderam tudo, por favor orientem-se e sejam felizes sempre que é possível… Aprendamos uns com os outros por favor! E tudo irá correr bem”.


quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Ignorar!



IGNORAR:

1. Fazer de conta que algo ou alguma coisa não existe; não saber sobre uma determinada coisa;

2. Deliberadamente desconsiderar a presença ou a existência de algo ou alguém.






sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Mandar à fava ou não mandar à fava alguém...



Quando uma relação termina e os sentimentos continuam a existir, por norma ou alguém fez algo de muito mau ou começaram a entrar em desgaste, que é como quem diz: a colocar as garras de fora por causa das diferentes personalidades, ou das personalidades semelhantes e que chocam MUITO!

Há quem diga que se tentarmos esquecer alguém rapidamente, corremos o risco de ela ficar dentro de nós para sempre…

É preciso aceitar a mágoa, a dor, a saudade e até mesmo lembrar da pessoa para depois esquecer… Mas e se não quisermos esquecer depois de aceitar tudo isto???

É que nestas situações nós passamos por fases diferentes até termos racionalidade para decidir o que fazer: seguir em frente ou voltar atrás e tentar de novo!

Primeiro, e independentemente de quem termina, passamos por uma fase de revolta, em que nem queremos ver a pessoa à nossa frente (ou se nos apetece é para correr mal) e, portanto, só pensamos em esquecer!!!

Depois, a saudade começa a surgir mas já pensamos na pessoa mais como alguém que nos magoou e portanto ficamos tristes (não confundir com falta da rotina)… Deixamos de estar mais ansiosos e passamos a ter alguma tranquilidade, pois já não pensamos em “desfazer a pessoa” mas em ignorá-la porque no fundo nos desiludiu!

Mais tarde chega então a altura em que racionalizamos a coisa e se conseguimos ver onde cada um de nós errou e assumirmos que temos algo a limar, decidimos tentar chegar à pessoa para uma possível reconciliação. Voltamos a acreditar que afinal pode resultar e que devemos tentar de novo, pois a pessoa é efectivamente alguém muito especial.

O grande problema é que quando pensamos ou repensamos a relação que existiu, tendemos a pensar nas coisas boas passado algum tempo… E eu não acho que isso seja mau, é simplesmente uma forma de perceber que gostamos até mais do que pensávamos gostar!…  Mas se nos deixam à espera quando sentimos que perdemos o nosso orgulho, mesmo que se entenda que não temos todos o mesmo timing, a verdade é que se torna muito complicado não voltar a sentir ansiedade (e por mim falo até vontade de desistir)!

É fácil ter momentos em que pensamos: “Olha que raio… Eu errei mas tu também e ambos o admitimos; se eu consegui ultrapassar certas coisas pois hoje em dia as vejo como ridículas e apenas consequentes de situações que já nem deviam existir, porque não esqueces tu; se eu afinal percebo que tu és alguém que pode ter defeitos, mas que és alguém correcto e portanto
vales a pena, porque não pensas tu assim em relação a mim; se consigo detectar as nossas falhas e com o tempo de conhecimento já sei o que é necessário mudar porque não te debruças também sobre assunto a sério; se percebo basicamente que aquilo que sinto é mais forte e me faz até desvalorizar alguns dos desentendimentos que depois se transformam numa bola de neve da qual era difícil sair… Porque é que tu não consegues o mesmo e continuas neste impasse estúpido em vez de pensares que eu também não te fiz mal, que sou igualmente uma pessoa de confiança e que os sentimentos, assim como o conhecimento um do outro, amadureceram e te resolves de uma vez por todas??? Ok. Não nos devemos apressar pois já não somos crianças e nada me foi prometido, mas caramba, não há paciência!!!

Por vezes é difícil perceber que não funcionamos todos de igual forma, que todos temos o nosso tempo para nos recompormos de forma a ter a certeza que vamos entrar com o pé direito e resolvidos com o passado, mas isso dá cabo da minha cabeça! Literalmente! E parece que volto de novo ao início do final!


Resumindo: estou a 1 centímetro de te mandar à fava - mesmo que em silêncio - e desistir de ti! Tiras-me do sério e infelizmente não consigo disfarçar! É mais forte do que eu!




quarta-feira, 20 de novembro de 2013

O que vestir no baptizado mais importante do ano?!


Já faltam pouco mais de 10 dias para o baptizado mais importante do ano (agora sim)!

E aqui a menina vai ser a madrinha do príncipe!

Pois é, bem sei que não é o meu dia, mas para mim será um dos dias mais importantes da minha vida. Tenho uns padrinhos exemplares, que são literalmente os meus segundos pais e sem os quais nem imagino a minha vida e continuamos a tradição familiar visto que vou ser madrinha do neto deles e um dia (lá para o ano de 2025) a minha comadre será madrinha do meu pequerrucho.

Mas à parte da conversa sentimental e blá blá blá - pois isso poderá ficar para outra altura - o que eu quero mesmo é saber o que vestir!!!

O preto que tanto adoro está fora de questão: já existem duas convidadas (das mais importantes) que o vão usar e não quero contribuir para uma foto de família tão escura!!

No entanto gosto de me sentir bem com o que visto e adoro aproveitar estas alturas para fazer umas comprinhas e arrojar na fatiota…

Adoro saias, e visto que os vestidos de manga comprida devem estar todos noutro país neste Inverno, vou optar por elas. Em pesquisa às lojas online, deparei-me com umas saias compridas que gostei bastante e pensei… “Hummm, porque não???” Mas e que casaco levar?... Acho que não vai dar…

Continuo à procura...








sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Fim de semana!!



Venha o fim de semana com a minha amiga do coração!!! 

(E quem sabe com um programinha extra para abanar aqui a miúda :))!!! 


3.... 2.... 1.... Bora lá!!!


Bom fim-de-semana!!!




quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Conversas matinais...



Hoje, logo pela manhã, ainda não tinha entrado no gabinete e um colega grita do fundo da entrada: “Ó Dra. já está ao serviço? Ainda vai tomar café? Posso passar no seu gabinete ou incomodo?”.

Pois claro que incomoda meu senhor!

Mas como pessoa simpática que sou (e educada) não o mandei dar uma voltinha e vir mais tarde…

Quem sabe um dia destes afixo na minha porta (ou na testa mesmo) um papel com a seguinte mensagem:


“QUALQUER ASSUNTO A SER TRATADO VERBALMENTE POR FAVOR COLOQUE POR ESCRITO E ENTRAREI EM CONTACTO DEPOIS DO ALMOÇO”.



quarta-feira, 13 de novembro de 2013

O drama das viagens!




O meu lado controlador é tal que detesto viajar de avião, de barco, de autocarro ou até mesmo de carro se não sou eu a conduzir algum dos meios de transporte!
Resumindo: tenho medo de viajar e não sei conduzir aviões, barcos ou comboios. Nem motas, quanto mais!
Mas adoro fazer viagens e, portanto, é um misto de emoções sempre que estou prestes a “sair da cidade” pois sou capaz de andar semanas (se for de avião) apática e quando chego ao destino dou pulos de alegria! E depois quando é altura de regressar, o tempo de ansiedade diminui mas no dia anterior já estou fechada no meu mundo de onde ninguém me tira até chegar ao meu doce lar novamente!

Ora este problema por si só bastava, mas para além de ser palerma com o cuidado que tenho para comigo isto passa também para preocupação com as viagens dos outros!!!

Das duas uma: ou me escondem que vão viajar e minha mente anda livre como um passarinho ou sou capaz de estar um dia inteiro tipo barata tonta à espera que me dêem notícias boas e não: “o avião despenhou-se”, “o comboio descarrilou” ou “o carro despistou-se na auto-estrada”! Sim, porque é mesmo O DRAMA (apesar de na maioria do tempo conseguir rir-me de mim própria o medo está lá)!

Hoje vais fazer uma viagem, mesmo que pequena, vais. E é de carro, ok. Mas não vou poder controlar os factores saída e chegada, por isso vou continuar a bater com a cabeça na parede até amanhã e mesmo assim espero que amanhã consiga acordar e dizer para mim mesma a velha máxima “não te preocupes miúda, as notícias más correm depressa”!


Grrrrrrr…


terça-feira, 12 de novembro de 2013

Adiar planos bons!


Detesto estar histérica por um bom momento e adiarem o mesmo!!!!

Mas pensamento positivo: antes adiar do que desmarcar!!


(A controlar a minha impulsividade desde ontem à noite pois gastei-a toda durante o dia... E hoje quando acordei percebi o quão mal estive... Dois estalos nesta cara e não era pouco!)

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

O silêncio...




Que bom é descobrir que ainda estamos em sintonia...
Também te lembraste do nosso "Sweet November" e o quiseste mostrar com uma imagem (tal como eu) no dia 1 de Novembro a algumas pessoas. 
A mesma imagem e em silêncio. E só eu percebi o porquê...
A internet tem destas coisas boas!
Tudo o que fazemos tem mesmo um motivo, não tem?! E que bom...

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Estou à tua espera!!!!



Já estou farta de estar à espera!

Mas pronto, está bem…

Mereces que seja paciente…

Eu deixo a porta aberta e aguardo por ti com um sorriso!

Tu vales a pena e sei que é o melhor para nós… Eu sei, eu sei, eu sei, eu sei, eu sei!!!



(Mas sou filha única e gosto de tudo para ontem…. Por isso, despache-se!)

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Sweet November...



Que hoje me tragas no coração, tal como eu te trago a ti.
Que me sintas em ti.
Que o meu beijo de paz te seja entregue em silêncio.
Que recordes o nosso olhar encantado naquela noite e a surpresa de nos encontrarmos sem nos procurarmos. 
Parabéns a nós.

Que o meu sempre doce Novembro continue tão especial como até hoje... 

E que nesta sexta-feira, em particular, te traga até mim de alguma forma...