segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Os meus últimos meses traduzidos numa frase....

Quando à tua frente se abrirem muitas estradas e não souberes a que hás-de escolher, não te metas por uma ao acaso, senta-te e espera. Respira com a mesma profundidade confiante com que respiraste no dia em que vieste ao mundo, e sem deixares que nada te distraia, espera e volta a esperar. Fica quieta, em silêncio, e ouve o teu coração. Quando ele te falar, levanta-te, e vai para onde ele te levar.”.

Do livro “Vai onde te leva o coração” da Susanna Tamaro

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Onde começa e acaba o amor?



Desiludes-me mas depois acabas sempre por me mostrar que apesar de tudo és a pessoa que o meu coração sempre conheceu...

Não gosto da vida que levas, como disse já espero mesmo que seja apenas uma fase de "encontro" de ti próprio, mas a cada dia que passa descubro ainda mais qualidades em ti que desconhecia... E sei que um dia destes colocadas na balança vão pesar bem mais do que as pequenas "loucuras" que tens cometido nos últimos tempos...


Afinal onde começa e onde acaba o amor??? É que eu ainda não percebi...

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Desiludida...




                           ... cada vez mais desiludida contigo...

                           E é só que tenho para te dizer....

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

O tempo e a importância relativa do tempo...

Porque tudo é tão confuso?... Será mesmo que todos os corações e cabeças funcionam de forma diferente?... Coleccionamos experiências, amores, paixões ou apenas simples ilusões mas de uma forma tão intensa que por vezes é mesmo difícil distinguir a montanha de gente que está alojada no nosso (muitas vezes pequeno) coração e quando damos por nós estamos literalmente perdidas no tempo...

Precisamos de tempo é certo, para tudo dizem que é preciso de tempo, mas na realidade a vida é só uma e há pessoas que têm ânsia de a viver, de a aproveitar cada dia e há fases na nossa vida em que simplesmente toda a confusão, tristeza e ansiedade toma um pouco conta de nós... Afinal nós temos sentimentos e todos nós precisamos de amor, carinho, alegria o que nem sempre vem aos pacotes diários... E o tempo faz-nos muitas vezes pensar demasiado nas coisas e perder muitas delas, pelo simples facto de constantemente nos dizerem que é preciso tempo não devemos facilitar...


Confusões à parte, sim, precisamos de pensar mais em nós, precisamos do nosso tempo também, é muito verdade, mas nunca devemos esquecer que amanhã há pessoas que podem já cá não estar...


Portanto menos cabeça para quem apenas só usa a cabeça e um pouco mais de coração porque não devemos desistir nem dar tempo a mais...


Como diz uma amiga minha "o rio não corre sempre para o mesmo lado" (provérbio da autoria dela pensamos nós...) e portanto há que saber quando seguir em frente e lutar pela nossa felicidade...


Já é tempo, sem dúvida!

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Maquilhagem de base!!

Sempre me maquilhei todos os dias, e sempre tive alguma preocupação com alguns dos produtos que usava mas decidi finalmente investir numa boa base, que algumas pessoas já me tinham dito ser magnífica, e que considero essencial para um perfeito ponto de partida para a nossa maquilhagem diária.

A minha busca durou meses :)

Mas finalmente encontrei uma base "fantástica"....

Base da Dior NUDE - cerca de 41 Euros




sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Volta...



Eu tento esquecer a tua vida, esta que tu levas de forma leviana sem que tu próprio te aperceberes que não é nada disto que queres para ti... Tento pensar que esta é apenas uma fase, que inventaste de uma forma rápida (talvez para ser menos indolor), em que preferes enganar-te a ti próprio agora de uma outra forma...

Passaste anos a enganar-te com a esperança e a ilusão de que o que tu querias poderia voltar para ti, mas cansaste o teu coração... É nisso que acredito. Que o teu coração está cansado, mas não está menos poderoso porque o amor continua lá... E quando estiver preparado novamente vai voltar a sentir falta do único amor que conheceu e do seu porto de abrigo... E aí, depois de tudo o que tem acontecido eu só quero que os nossos corações finalmente se aconchegem de novo... Porque está a querer-me parecer que nunca quiseram nem querem viver tão longe um do outro...


Volta... Volta a ser a pessoa que eu sempre amei... Até lá vou seguir o conselho que me deram e pensar apenas em ti, e não na tua vida.... Só em ti...



segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Palavrinhas para alguém que por aí anda...



Queria dar-te colo, embalar-te no meu regaço e dizer-te baixinho que tudo está bem quando acaba bem. Queria adormecer essa tua inquietação, dar conta de todos os teus medos, decepar a loucura que desliza dentro de ti como uma enguia sem tino, com tamanha violência que quando sibila se ouve cá fora em redor, escoando-se pelos orifícios da tua pele. Queria garantir-te que, comigo por perto, nada ninguém nunca poderá fazer-te mal, que podes fechar os olhos, descontrair os músculos, deitar para o lixo todos os químicos que agora te permitem a posição vertical e fingires para os outros que és tu. Queria dizer-te que sei que estás algures dentro de ti e que esse invólucro que apresentas é apenas uma pele seca que mais cedo ou mais tarde largarás pelo caminho, quando me souberes lá à frente à tua espera. Queria que percebesses que há entre nós um laço, mais do que um laço, um nó górdio, um amor complexo e irremediável, cheio de voltas e contravoltas, que ninguém poderá cortar com a sua espada, mesmo que especialmente desembainhada para o efeito. Sei que hoje nada sentes, ocupado que estás com a aritmética simples da sobrevivência, que estas palavras pouco te dizem, que tudo te parece um pesadelo e que não acreditas em mim no fim da linha, acho que a questão nem sequer te interessa. Mas um dia olharemos para trás e leremos os dois este texto premonitório, palavra por palavra, promessa por promessa, juro. E será exactamente como te disse, os dois rodeados de crianças e de bichos e de pólenes de primavera que o vento nos trará em contornando as montanhas. E então serás tu a embalar-me com o cinzento dos teus olhos e a tapares-me com o cobertor até cima, afugentando os meus fantasmas com a mão, vigorosamente, como se fossem apenas insectos incómodos e não esta bola de fogo que me empecilha a garganta e me faz acordar a meio da noite, a vomitar pela cama o medo de te perder para sempre na espuma dos terrores que inventas para ti mesmo.”

(do Blog "Um amor atrevido")


sexta-feira, 3 de agosto de 2012

A vida tem cada uma...




... tinha de nascer exactamente no "nosso" dia...

Inacreditável. O ano tem 365 dias. Tinha de ser no mesmo dia em que nos conhecemos, ou melhor nos olhamos de forma diferente e nunca mais fomos os mesmos....


Hoje é em ti que penso e em como vou decidir se o dia deixou de ser nosso para passar a ser de outra pessoa.


Será que a vida nos prega estas partidas porque é mesmo para não esquecer???... Neste caso tu não esqueceres....


Mas será que tu te lembraste que mesmo sendo um dia tão importante agora para ti outrora foi tão importante para nós?....


Será?....


Um dia vou saber, eu sei que sim. O Karma está lá e ambos sabemos que isto nunca vai passar. Nunca...





O amor segundo Rogério Fernandes



"Os amantes de hoje preferem a droga mais leve, o tabaco mais light ou o café descafeinado. Já ninguém quer ficar pedrado de amor ou sofrer de uma overdose de paixão. As emoções fortes são fracas e as próprias fraquezas revelam-se mais fortes. Os amantes, esses, são igualmente namorados da monotonia e amigos íntimos da disciplina. O que está fora de controlo causa-lhes confusão, e afecta-lhes uma certa zona do cérebro, mas quase nunca lhes toca o coração. O amor devia ser sonhado e devia fazê-los voar; em vez disso é planeado, e quanto muito, fá-los pensar.
Sobre o amor não se tem controlo. É um sentimento que nos domina, que nos sufoca e que nos mata. Depois dá-nos um pouco vida. No amor queremos viver, mas pouco nos importa morrer e estamos sempre dispostos a ir mais além. Deixamo-nos cair em tentação, e não nos livramos do mal, embora procuremos o bem. No amor também se tem fé, mas não se conhecem orações: amamos porque cremos, porque desejamos e porque sabemos que o amor existe. Amamos sem saber se somos amados, e por isso podemos acabar desolados, isolados e deprimidos. Que se lixe! O amor não é justo, não é perfeito; no amor não se declaram sentenças nem se proferem comunicados. O amor prefere ser imprevisível, cheio de riscos e de fogo cruzado. No amor os braços não se cruzam, as palavras não se gastam e os gestos servem para o demonstrar. Amar também é lutar, e enfrentar monstros fabulosos com cabeça de leão, corpo de cabra e cauda de dragão. É uma ilusão, um sonho, um absurdo e uma fantasia. O amor não se entende, não se interpreta, não se discerne nem se traduz. Quem ama acredita, mas não sabe bem porquê, não sabe bem o quê, nem percebe bem como."

(Rogério Fernandes, in 'Alterne Activo')


quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Adeus...


Custou bastante, mas naquele preciso momento saiu-me um peso de cima...

Sinto-me mais leve, bem mais leve. Fechou-se mais um caminho e foi bem mais fácil assim.


Adeus...